SOBRE NÓS

Quem somos e o que fazemos


Nossa história


Chamados à Santidade

A Igreja do Nazareno (Church of the Nazarene) é uma denominação cristã protestante surgida durante o Movimento de Santidade, na Europa e América do Norte ao longo do Século 19. A denominação tem como base os princípios do Wesleyanismo e do Metodismo e sua principal missão é a pregação do Evangelho de Jesus Cristo através do envio de missionários à várias regiões do mundo. Em Outubro de 1895, Phineas F. Bresee, doutor em divindade, e Joseph P. Widney, médico, com cerca de 100 outras pessoas, incluindo Alice P. Baldwin, Leslie F. Gay, W. S. e Lucy P. Knott, C. E. McKee, bem como membros das famílias Bresee e Widney, organizaram a Igreja do Nazareno, em Los Angeles, EUA. Desde o princípio, viram esta igreja como a primeira duma denominação que pregava a realidade da inteira santificação recebida pela fé em Cristo.

Adotaram regras gerais, uma declaração de fé, uma estrutura baseada numa superintendência limitada, princípios para a consagração de diaconisas e a ordenação de presbíteros, bem como um ritual. Todos estes foram publicados como um Manual, começando em 1898. Publicaram um jornal intitulado The Nazarene (O Nazareno) e, depois, The Nazarene Messenger (O Mensageiro Nazareno). A Igreja do Nazareno expandiu-se principalmente ao longo da Costa Ocidental, tendo congregações espalhadas a leste das Montanhas Rochosas, até Illinois. Desde o seu princípio, a Igreja do Nazareno teve uma dimensão internacional com o envio de missionários para diversos países e, em breve, o Brasil seria alcançado pela denominação, no final da década de 1950.

Igreja do Nazareno no Brasil

A Igreja do Nazareno teve início no Brasil em 1958. A primeira igreja e templo foi instalada no coração da cidade de Campinas/SP, à Avenida Francisco Glicério. Tudo começou com a família Stegmoller. Na época, o leigo nazareno Dr. Erwin Stegmoller veio ao nosso país para trabalhar em uma fábrica de tratores.

Sem ter onde adorar a Deus, os cultos começaram na casa deles. A responsabilidade litúrgica ficou sob a responsabilidade do Revdo. Earl E. Mosteller, homem de fé, que foi designado para o estabelecimento da denominação no Brasil. Com sabedoria e buscando a vontade de Deus, procurou entre várias cidades brasileiras um local para o início do trabalho e Campinas foi a cidade escolhida. A visão estratégica do Dr. Mosteller fez os primeiros nazarenos se unirem num sonho comum, evangelizar o nosso grande país. Outros missionários também vieram ajudar na implantação da Igreja que surgia, os Dentons, os Gates, os Kratz, os Collins e Limas.

Outros também se juntaram ao trabalho, José Zito de Oliveira, Joaquim Antonio Lima, Antonio Leite, Eudo Tavares de Almeida, Fernando de Sá Nogueira entre outros. Após seis décadas de atuação a denominação conta com seiscentos e trinta igrejas reunindo cento e cinquenta e três mil nazarenos.

Nasce a 2a Igreja do Nazareno em Campinas

A história da 2a Igreja do Nazareno de Campinas ou Igreja do Jardim Leonor, representa a verdade sobre as forças inimigas não serem capazes de prevalecer contra a igreja do Senhor Jesus Cristo. Nascida em 1961, na casa da família Alcino e Bigayl Martins e oficializada em Fevereiro de 1962, a nova igreja surgia no extremo da cidade de Campinas, como opção para as famílias que não podiam se locomover até a primeira igreja ou Igreja do Nazareno Central de Campinas.

O início foi promissor, uma nova igreja para pregar a mensagem de santidade. Havia ânimo missionário e a visão era a de expandir o reino de Deus. Para uma nova igreja, com um novo pastor, Antonio Jacoe. O trabalho vingou e logo frutificou. Nos anos que se seguiram, 1963 e 1964, nascem duas filhas dessa nova igreja, Jardim São Pedro e Nova Europa, respectivamente, frutos dos pés dos jovens que, com o coração ardendo pela obra, cruzam a cidade para pregar o evangelho do Senhor Jesus, enfrentando chuva, lama, poeira e muitas dificuldades. Jovens que hoje são anciãos na igreja que viram crescer e frutificar.

Assim como todo crescimento enfrenta suas lutas e dificuldades, a igreja do Jardim Leonor, logo percebeu que o caminho seria longo e com muitos obstáculos. As trocas de pastores, devido aos vários problemas internos e externos, afetaram o crescimento, foram 12 nos 20 primeiros anos de vida. Muitas lutas surgiram e alguns membros deixaram o desafio, enquanto outros permaneceram firmes e fieis, mas o crescimento estava comprometido, a tal ponto que, a liderança distrital da época decidira que o melhor seria fechar a igreja, vender a propriedade e encerrar a história do projeto da segunda igreja de Campinas, em Jardim Leonor.

A resistência a esta ideia logo surgiu, quando alguns membros remanescentes, decidiram lutar pela causa e levar a obra adiante, verdadeiros heróis que clamavam pela misericórdia de Deus e experimentaram a verdade do hino que diz: “Rochedo forte é meu Senhor, refúgio na tribulação; presente e firme amparador, refúgio na tribulação. Ó Cristo é nosso abrigo no temporal…”. Numa atitude de coragem e ousadia, decidiram convidar o Revdo. José Zito Oliveira, primeiro nazareno no Brasil e também primeiro pastor nacional, para assumir o ministério pastoral. O pioneiro da igreja do Nazareno no Brasil, movido por Deus, em Julho de 1983 mudou-se da capital do país, Brasília, para a capital das andorinhas, acompanhado de toda a família: Profa Zilta, os filhos Luiz Carlos, Humberto, Ruth e Eduardo. A obra revive e novas esperanças se firmam, “vamos deixar a capelinha e construir um templo maior” era o desafio do Pr. José Zito.

Durante nove anos a igreja se preparou e iniciou a obra de um novo prédio, como marca do renascimento no bairro de Jardim Leonor e na cidade. Muitas foram as lutas para se concretizar o sonho, mas Deus é aquele que ama os sonhadores e lutadores, por isso, de forma milagrosa, sem nenhum investimento da denominação, apenas com os esforços do pastor e membros da igreja local, marcaram a inauguração para Setembro de 1992. Para um novo templo, um novo tempo. A inauguração enchia os corações de alegria, mas trazia consigo uma verdade que atingia a todos, nosso pastor tornou-se um ancião e na denominação, infelizmente, os anciãos são aposentados aos 70 anos, é tempo de alegria, mas também de partida e incertezas.

A preocupação pairava no ar: quem será o novo pastor? As listas estavam prontas. As reuniões com autorização do superintendente ocorriam. Nomes eram convidados, mas declinavam, entre eles o pastor titular da Igreja do Nova Europa, Revdo. Humberto de C. Oliveira. Por duas vezes, esse último não aceitou o convite, dizia ele: “Agradeço o convite, mas estou muito bem na igreja que pastoreio. Eu amo a Igreja do Nova Europa e a igreja me ama”. Semanas se passaram e não havia a definição de um novo pastor. Alguém, movido por Deus, decidiu que a junta da igreja deveria insistir mais uma vez em convidar o Pr. Humberto. A resposta dessa vez foi diferente: “vou orar e pedir a Deus a direção, o que Ele ordenar farei”. Cerca de 10 dias se passaram e Deus ordenou que o jovem pastor deixasse a igreja onde pastoreava a quase cinco anos e assumisse o trabalho em Jardim Leonor.

Um novo templo, um novo tempo e um novo pastor. Setembro de 1992 foi marcante para todos. Para a igreja que viu o ancião ser substituído pelo jovem. Para o mestre que deixou seu lugar para o discípulo. Para o pastor que vê a ovelha transformar-se em líder. Para o pai que transfere o bastão ao filho. Para o filho que percebe o desafio de substituir o pai, o ancião, o mestre e seu próprio líder e pastor.

Um novo tempo requer um novo slogan: “nossa igreja não será mais reconhecida como Igreja do Jardim Leonor, mas seremos chamados de Segunda Igreja do Nazareno de Campinas, porque esta é a nossa verdade, somos a segunda igreja da denominação  a ser fundada na cidade”. Estas palavras ditas pelo Pr. Humberto desafiaram a liderança da igreja a entender que deveriam caminhar de forma a progredir e marcar presença no bairro e na cidade. O novo tempo se solidificou. Logo a Segunda Igreja percebeu que os ventos do Espírito Santo sopravam sobre ela e coisas tremendas começaram a acontecer. Novos membros, braços e corações que se uniam aos antigos para realizar a obra de Deus. Ramos novos que enxertados na madura árvore, renovavam os já existentes. Muito trabalho. Muitas lutas. Muitos desafios.

Os primeiros frutos começam a brotar e a igreja floresce. O templo tornou-se pequeno e surgiu a necessidade de expansão. Como expandir no reino de Deus muitas vezes significa gerar novas igrejas, surgem novos filhos e filhas: Jaguariúna, Pedreira, Jardim do Lago, Satélite Íris 3, São Bernardo, Country Ville, além da adoção do Parque Jambeiro.

A igreja que floresce e frutifica ganha força e maturidade. Seus ramos se estendem não mais pela cidade ou região, mas chegam a tocar o nordeste brasileiro. A Igreja do Castelão em Fortaleza experimenta o prazer de viver à sombra dessa árvore frutífera ao ser abençoada com o envio de um novo pastor que seria sustentado por dois anos e meio pela Segunda Igreja do Nazareno de Campinas.

Coisas tremendas ainda estavam guardadas para acontecerem. O frutificar não parou. As fronteiras de um país continental se tornaram pequenas para ela, seus ramos, agora, se estendiam até o oceano pacífico. Tocava o Peru, mais acertadamente a região desértica de Piúra. Que maravilha! Maravilhoso mesmo! Agora somos uma gigantesca árvore que leva sombra, esperança e certezas de um amanhã melhor para as crianças no deserto do Peru. Uma escola surge, seu nome? PEPE Príncipe da Paz.

A árvore une dois povos: Brasil e Peru; duas línguas: português e espanhol; duas cidades: Campinas e Piúra; duas igrejas: Segunda igreja do Nazareno de Campinas e Primeira Igreja do Nazareno de Piúra. Passados mais de cinquenta anos, um rebento surge, um pequeno, mas precioso ramo, com o tamanho de uma criança, mas a visão de um gigante, Comunidade dos Povos, com a liderança do Pr. Edmur.

Quando tudo parecia se acalmar, a igreja anciã, que poderia permanecer em sua zona de conforto, com seu prédio próprio, finanças equilibradas e um ministério maduro, é impactada por um desafio de voos maiores. Por que não uma mudança para um lugar mais amplo? Vozes assustadas ecoavam: loucura! Corações aprisionados à história do local diziam: “Eu nasci aqui, eu cresci aqui, quero morrer aqui, sempre Leonor!”.

O Espírito Santo tomou a frente do novo impulso, e como poderoso que é, foi abrindo caminhos e portas, conduzindo a igreja para o coração da região sudeste de Campinas, para um novo prédio em um novo endereço da cidade, Avenida da Saudade 965. Lugar sugestivo, que levaria à todos a guardarem com saudades os tempos antigos, mas olharem para frente para um novo tempo, novo templo e um novo desafio.

Hoje somos uma igreja pujante, conhecida e reconhecida na cidade. Próximo a esta igreja está o cemitério da Saudade, que nos faz relembrar a verdade que aqueles que estão em Cristo não permanecerão na morte, mas ressuscitará em Cristo Jesus. Passados 55 anos, sabemos que o resultado é tremendo, mas os desafios maiores ainda! Chegamos aqui, graças ao nosso maravilhoso Deus, mas podemos fazer muito mais e precisamos de você! Nosso propósito: Amar a Deus, amar o próximo e servir a todos!


hallelujah_march_October_1908_551-37

Marcha Aleluia, EUA, outubro de 1908


Campinas antiga

Centro de Campinas, década de 1950


5

Construção da Capelinha, o primeiro templo da 2a Igreja do Nazareno de Campinas, à Av. Washington Luiz, 845 em Jardim Leonor

Digitalizar0038

Fevereiro de 1962, em novo templo, a saudosa capelinha.

Igreja

Famílias que estiveram no início continuam até hoje acompanhando toda a história

Igreja 1

Cultos alegres e pregações bíblicas atraiam as pessoas

igreja 2

Era grande a paixão missionária. Trabalho de evangelismo no Jd. Nova Europa, o qual gerou a implantação da nova igreja no bairro.

Igreja 3

Chegada do Pr. Zezito e sua família para pastorear a igreja em julho de 1983.

Igreja 5

Novo templo é inaugurado em setembro de 1992


Igreja 6

Novembro de 2014. Mudança para novo endereço.


foto igreja naza

Dezembro de 2014. Novo e amplo templo na Av. Saudades, 965, Ponte Preta.




Identidade Missional

Propósito, Missão, Visão e Valores

Propósito
Amar a Deus. Amar o próximo. Servir a todos.

Missão
Pregar o Evangelho genuíno e autêntico que salva e transforma pecadores em discípulos e servos de Cristo. Mateus 28:19-20

Visão
Ser uma Igreja amorosa e acolhedora, biblicamente centrada e contextualizada, que faz a diferença nas vidas e alcança a sociedade em todos os seus níveis.

Valores
1. Amor e Honra a Deus
2. Amor e Serviço ao Próximo
3. Ensino da Palavra
4. Vida de Santidade
5. Comunhão e Adoração
6. Valor da Família
7. Evangelismo e Discipulado
8. Fé e Obediência ao Chamado





Equipe pastoral


Revdo. Humberto de Carvalho Oliveira

Pastor Titular

Revdo. Thiago Santos Biasoli

Pastor Titular


Revdo. Emerson Pontel

Pastor Auxiliar

Revdo. Wagner Gonçalves de Carvalho

Pastor Auxiliar


Revdo. Hamilton Teixeira da Silva

Pastor Auxiliar


Revdo. Silvio Rocha

Pastor Auxiliar